Melancolia

Nenhuma palavra pode atingir
0 sentimento encarcerado no meu ser:
nostalgia de uma palavra vazia,
uma canção que já inicia
com um adeus ou um amém.

Sou eu comigo mesmo,
um silêncio profundo
e uma palavra nenhuma.

Os passos diante do indizível
que é sentido no meu peito,
trilham poesias tão adeus de mim,
como fuga de algo não eu,
um fato que nunca acontece:
fogem as rimas, escrevo o silêncio.

Tão barata quanto minha filosofia,
tentativa que se acaba no tentar,
indizível como sempre…
minha vida aprisionada,
em um passado que não há.

This entry was posted in Poéticos. Bookmark the permalink.

One Response to Melancolia

  1. marden says:

    gostei do layout novo.

Comments are closed.